Delírios de consumo de Becky Bloom

Olás!

Lembram que eu falei neste post que comprei o livro "Os delírios de consumo de Becky Bloom"? Pois então, eu terminei de lê-lo faz mais ou menos uma semana. Foram 400 páginas divertidas, de uma personagem que lembra muito todas as mulheres e seus mundos!

O legal do livro é que ele deixa bem claro que ter dívidas por comprar compulsivamente não é legal, e que o ato de comprar compulsivamente esconde problemas emocionais, em geral depressão e baixa auto-estima, e quando resolvemos estes problemas, vemos que não precisamos assim tão desesperadamente comprar os últimos lançamentos de roupas, ou maquiagens, ou seja lá qual for o objeto da compulsão. Eu me identifiquei muito com ela, e lembrei de um monte de situações que comprei coisas sem saber porque, mas eu não estava legal. E pior: depois nem usei.

Compulsão é coisa séria, e há pessoas que vão ter que conviver com isso a vida inteira, controlando-a. Eu sou assim. Neste momento, é o blog e as maquiagens, mas já foi uma centena de coisas: roupas, material para ponto-cruz, shampoos e afins, séries de TV... Ando sempre na corda bamba, me equilibrando, muitas vezes até caindo um pouco. Mas sempre, sempre mesmo, a compulsão aumenta quando não estou bem comigo mesma.

Olha, quando comprei este livro foi algo deste tipo: eu queria ler algo pra me fazer perceber que eu estava comprando muitas coisas, e nem usando estava. Deu um certo resultado: este mês não comprei nada pela internet (o que chegou são compras de outros meses). Estou me segurando também porque vou viajar, e aí já viu: vai ficar mais difícil me segurar. Mas ao menos estou ciente disso.

Não tenho colocado a minha conta em risco (não usei o limite, ou pagando a fatura do cartão de crédito parcial), mas também não estou guardando. Sei que estes meses são os que a gente gasta mais (férias, lojas que não têm em Bagé, saídas para restaurantes, etc.), mas mesmo assim achei que estava na hora de maneirar. (Nossa, ia falar sobre o livro e acabei fazendo confissões!)

Enfim, tudo isso pra dizer que o livro tem sim uma mensagem legal. Não é um exemplo de literatura (viu amor?), mas é divertido e traz uma mensagem importante!

Agora o filme eu vi depois do livro. Ainda bem, porque odiei. Por que? Porque eles fazem uma mistureba de coisas do livro, e fica uma coisa nada a ver! Podem acreditar, o livro é bem mais legal! A narrativa lembra bastante o filme da Bridget Jones (não sei o livro, porque não li), com situações da Becky falando consigo mesma e fazendo loucuras absurdas... enfim, me lembrou em vários momentos. Como eu adoro os filmes da Bridget Jones (assisto sempre que passa na TV, e olha que passa muito!), foi muito legal ler o livro. E instrutivo.

Beijos!!!

Comentários

Malu disse…
Eu quero ler esse livro...

Eu também tenho tendência a comprar mais (e sem pensar) quando não estou muito bem... Essa semana vou separar roupas para doação, muitas nunca usadas (mas que também não me servem mais, mesmo que eu venha a emagrecer bastante), compradas por pura compulsão. :x

Hoje marquei meu teste (IELTS, versão acadêmica) para o dia 10/04, o problema é que eu não tenho conseguido estudar :~~~~ A concentração vai embora, e não tenho ninguém para estudar comigo.

Beijo
Dáfni disse…
Oi Malu!

Acho que é um problema mais comum do que a gente imagina, né?

Puxa, ainda tem um mês até seu teste! Mas fique calma, porque tenho certeza que vc vai tirar de letra!

Vc tem material com os testes anteriores?

Beijos
Karen Lommez disse…
Pode ter certeza que é comum! Eu tb sou assim, já fui com coisas de cabelo, roupas, material de origami e scrapbooking e makes. Tb percebi a importância de maneirar e de usufruir do que já tenho, porque a compulsão é um buraco sem fundo, sempre achamos que precisamos de mais e mais e quando conseguimos nos controlar vivemos a satisfação de não sermos mais tão vítimas de nossas inseguranças. Vale a pena! Posso citar seu post no próximo que farei sobre consumo consciente, e até linkar o post? BJK
Dáfni disse…
Oi Karen,

É sempre bom a gente saber que há outras pessoas que passam pelas mesmas coisas que a gente, né?

E quanto a citar o post... claro! Fico honrada!

Beijos
Dafni, minha tristeza dos ultimos meses foi muito mais do que recompensada com muitas comprinhas. A gente sabe que não é certo, mas aí, vai fazer o quê?
Tentar descobrir por conta própria, antes que seja tarde demais, do tipo o cartão ultrapassar as contas um jeito de perceber quando é apenas loucura ou necessidade - se bem que make quase sempre é a necessidade mais fútil (e gostosa)!
Enfim, por sorte, para compensar vou precisar trabalhar mais e para isto apareceram uns projetos para executar. O duro é que estou como a Malu, totalmentes sem concentração.
Quero ler este livro, quero ler o blog e quero esquecer de vida real!
Ai já acho que é preguiça mesmo!
Juro que estou voltando ao normal, só falta me segurar porque tem uma paletinha na Brigettes, da Mac, que está me tentando, e só tem mais cinco disponíveis, como faz?
Beijinhos!
Gisele disse…
Oi, Dáfne!
Olha, graças à Deus deste mal não sofro! Sempre fui muito econômica, e tudo que conquistei na minha vida foi graças à este meu senso de economia. Quase nunca (para ñ dizer nunca!) gasto com coisas sem necessidade ou que nunca vou usar. Talvez porque cresci sem pai, vendo minha mãe contar moedinhas para pagar as contas e criar bem a mim e a minha irmã... Gastar demais me dá a impressão de desperdício, que me dá a idéia de que não valorizo o meu dinheiro. Se ñ valorizo o dinheiro, ñ valorizo o meu trabalho... e se ñ valorizo meu trabalho, então eu ñ me valorizo! Ñ é assim?
Antes de comprar qualquer coisa eu antes faço três perguntinhas básicas:
1- Eu preciso mesmo daquilo?(prioridade)
2- Eu posso pagar?(custo)
3- Eu vou mesmo usar?(utilidade)
Geralmente, algumas comprinhas ñ passam da 1º pergunta, aí eu ñ compro.
E prioridade é muito importante também nestes casos. Por exemplo, se vc sonha em comprar um carro 0 Km, mas gasta compulsivamente em sapatos, vai ficar só no sonho e provavelmente desfilando à pé cada dia com um sapato diferente.... O que é mais importante? Pense nisso...
Vanessa disse…
Oi Dafni,

Visitei o The Catorialist....cada foto tao legal....os modelos sao lindos!!! Da uma saudade dos meus!

As pessoas podem mandar fotos dos cats pro autor?

Bjs
Van
Karen Lommez disse…
Dáfni, que bom que vc está gostando. É claro que eu consumo e que vou escorregar muitas vezes, mas estou me sentindo mais feliz com meu consumo e comigo mesma depois que passei a adotar formas de tornar meus hábitos mais conscientes. Não sou uma monja né, mas estou tentanto melhorar e compartilhar com os demais o que acho bom. Oh, não vi esse vídeo não, vou procurar! BJk
Malu disse…
Oi Dáfni,

Na verdade, meu teste deveria ser dia 27/03, mas como acho que preciso de mais tempo (já que não estudei nada ainda), marquei para dia 10/04, assim ganho duas semanas a mais.

Beijos
Dáfni disse…
Carlinha,

Te entendo perfeitamente! Ainda mais por tudo que passou nos últimos meses. É desumano se cobrar nesta situação. E óbvio, as comprinhas dão uma alegrada, dão uma espairecida, né?

Eu acho vc bem normal. Eu também me acho bem normal. O que não é normal é a personagem do livro, a Becky, que tinha uma dívida enorme com os cartões, com o banco, e achava que, se ela escondesse as cartas de cobrança, as coisas iam se resolver sozinhas. Nós não chegamos neste ponto, né?

Então, relaxa, fica feliz consigo mesma, e compra a sua paleta. Vc paga as suas contas e é responsável. E normal.

Beijos
Dáfni disse…
Oi Gisele,

Admiro quem tem este auto-controle, quem não passa por essas "tentações", como vc. Com certeza, vc faz o certo, e sabe que assim vai conseguir as coisas que quer e de forma segura.

Agora, pode ter certeza que, para algumas pessoas, fazer as três perguntas que vc faz não resolve: só isto não vai ser suficiente para que elas não comprem o que não precisam. E isto não tem nada a ver com irresponsabilidade, ou futilidade. Algumas vezes é doença, e da alma. Pra estas pessoas, terapia e auto-conhecimento são fundamentais. E carinho dos entes queridos.

Beijos
Dáfni disse…
Oi Van!

Legal o site, né? Olha, não sei se dá pra mandar fotos, ainda não fucei muito o site!

E os seus, estão onde?

Beijos
Dáfni disse…
Karen, respondi lá no seu blog!

Malu, vai dar tudo certo, vc vai ver. O teste não é difícil pra quem tem fluência. Eu me bati mais na hora de escutar, e na hora de falar. Tenho certeza que, nestas duas partes, vc não vai ter dificuldade, né?

Beijos
Karen Lommez disse…
Quando vc puder mandar, quero sim, mas sem pressão tá? O pacote que vc já mandou ainda não chegou, mas acho que deve chegar amanhã, pelo que vi hj no site. Com aquela greve dos ônibus aqui ficou difícil, mas seu pacote será postado amanhã, com muito carinho!Quanto à questão do consumo, só de vc pensar melhor e deixar certas coisas já é muito bom. Eu falei com a Carlinha que nos P10P da vida ninguém coloca batom e sombra pq todo mundo sabe o quanto é difícil ficar sem comprar um novo antes de acabar o que foi eleito para ser usado até o fim. Tenho muitas sombras e batons, mas sei que vou acabar comprando (sobretudo batons lindos da MAC) antes de chegar a um décimo do que já tenho, porém, controlo outros ítens. Eu já cheguei a comprar coisas de que nem gostava muito, como bronzer, porque achei bonito e legal, e isso eu não tenho feito mais. Não acredito que vou chegar à total disciplina nunca, mas já estou melhorando. Imagina se todo mundo fizesse um pouquinho de esforço e consumisse menos, um pouco menos... já seria uma grande diferença... é esse o meu argumento: não anular o consumo, que no nosso sistema social e econômico é impossível, mas melhorar sua qualidade. Vc criou uma outra modalidade de consumo consciente que é sua campanha contra o desperdício. Sempre achei muito legal mas só me candidatei uma vez pq das outras achei que não ia usar tanto se ganhasse. Enfim, quero aproveitar a oportunidade e te convidar para divulgar sua campanha no meu blog, num post mesmo que curtinho, explicando a sua iniciativa e sugeriando às pessoas que a adotem também! O que acha? Vou adorar se vc topar! BJk
Dáfni disse…
Oi Karen!

Claro que eu topo! Amanhã eu escrevo melhor, porque estou indo dormir! Mas fico honrada!

Beijos
Taíssa disse…
Adorei seu post...estou passando por um momento de pura compulsão ultimamente: por roupas! Mas também já foi por produtos para cabelos, perfumes, maquiagem et.. Consegui controlar bem tudo isso, mas com roupa ta sendo dificil pq a variedade é muito maior.. Nãoestou num momento ruim, pelo contrário.. Acho que é o mundo dos blogs que ta me fazendo assim.......rsrsrs..
Amei seu post... Me fez repensar algumas coisas que queria comprar...e a maioria nao estou precisando mesmo..
Beijos!
Gisele disse…
Oi de novo, Dáfne!

Meu comentário anterior foi só um conselho (que pra mim deu certo) para quem sente que está começando à exagerar no consumismo. Eu sei que compulsão por compras é uma doença, e muito séria.
A mídia é que é fútil e irresponsável, não as pessoas que sofrem deste mal. A mídia só pensa em ganhar o dimdim dela e usa as pessoas.
Não estou propondo que paremos de consumir. Só precisamos ser mais conscientes ao comprar, mais conscientes em tudo o que fazemos.
Penso que se as três perguntas deram certo pra mim, podem dar certo para outras mulheres. São perguntas bobas, mas de impacto, como as usadas em grupos de apoio para alcoólatras, por exemplo a clássica:"Evite o primeiro gole". Pra muitos dá certo, para outros não.
Não que eu não passe por tentações... Claro que passo! E como passo! Não sou nenhuma monja também não! rs...Só tomo cuidado pra não exagerar. Mas do meu jeito , com minha determinação e força de vontade, conquistei casa própria, carro, moto. E este ano vou comprar uma casa maior, com 3 quartos, se Deus quiser!
Mônica disse…
Eu lembro do psot sim! Desde netão fiquei morrendo de curiosidade de ler!
Eu não li nenhum deles, só vi o filme, mas é claro que o filme não deve representar 1/3 do livro!
Beijinhos

http://moniloureiro.blogspot.com
@MoniLoureiro
Day Rumim disse…
Estou pensando em assistir esse filme, só me falta coragem hehe, mas nem sabia que tinha livro! Achei bacana.

Ah, eu tenho alguns batons da Koloss sim ^^

Olha, vi uma menina que fez um vídeo de como carimbar as unhas, acho que o video dela vai te ajudar mais do que eu hhe: http://esmaltesdaana.com/?p=1573

Beijos flor!
Malu disse…
Oi Dáfni,

Obrigada pelo apoio. :D

O problema, para mim, não é falta de conhecimento da língua, e sim meu nervosismo extremo. Fico completamente paralisada em determinadas situações, não consigo falar. No cotidiano eu não tenho problemas para escrever, falar ou ouvir, o ruim é quando eu tenho que lidar com situações de stress. Isso é independente da língua, mesmo em português é assim. Por conta disso, no Brasil, eu fazia acompanhamento com psiquiatra e psicóloga, além dos remédios prescritos pelo psiquiatra.

Como já são quase 3 anos que fui embora do Brasil, são quase 3 anos de tratamento interrompido. Aqui eu terei que procurar um family doctor que esteja aceitando novos pacientes (o que pode ser meio complicado) e conseguir com ele/ela um referral para o psiquiatra. Se o family doctor acreditar que o caso não precisa de especialista (isso vale para qualquer área, seja pediatria, ginecologia, etc), não será dado o referral. E não tem como ir direto ao especialista quando o caso não é de emergência. Quando é uma emergência, deve-se ir ao hospital mais próximo e procurar por ajuda, mas são casos extremos, como quando alguém tenta cometer suicídio - o que, definitivamente, não é o caso. E ainda tem o detalhe de cada referral só durar 6 meses. hehe

Uma amiga me disse para tentar esquecer que aquilo será um teste, mas é tão difícil... Tentarei, e também vou ver outras formas de lidar com o nervosismo, pois será minha única chance. O teste é dia 10, o resultado sairá dia 23 e, até dia 1 de Maio, deverei ter entregue tudo na faculdade. As traduções ao menos já foram feitas.

Beijo
Emanuelly Guedes disse…
Oi Da!!!Eu ja li esse livro e amei,o que mas gostei é saber que nao é muitooo parecido com o filme,primeiro vi o filme e so depois o livro,mas achei o livro bem melhor,nao sei pq,mas acredito que deu pra viajar melhor na historia,hahahaha!Beijoooooooooos
Verônica disse…
dica pra todo mundo - ajudam muito a refletir.
Acho que até vcs todas já devem conhecer... Mas... lá vai:
tem un blog chamado "mais com Menos", muito legal.
e um filme chamado "a história das coisa. tem no youtube.
Consumo consciente contribui prum mundo mais justo tb.
adorei este blog.
bjs
Verônica disse…
Nossa, desculpem pela quantidade de erros!
o filme chama-se " A história das coisas" ou "story of the stuffs".
bjs
Patricia Harumi disse…
Dáfni, vc me perguntou uma coisa lá no blog, e eu agora lembrei que nao respodni ainda...

Procurei seu email e nao encontrei...

Pode me mandar um email?
Ou o me passar o seu?

patricia ponto akazawa arroba gmail ponto com

Lembra que vc me perguntou? Dve lembrar, eu que ando com os hormônios loucos e esqueci!rs...

Vou esperar, ta?! Sorry!

bjs
Dáfni disse…
Patricia,

Eu não consigo me lembrar o que era... acho que tinha a ver com a cor da base Face and Body, se vc comprou a mesma cor que a Studio Fix...

Beijos
Dáfni disse…
Manu, é verdade, no livro a gente viaja mais!

Verônica, ótimas dicas! O blog ainda não conheço, se puder colocar o link pra nós... agora, o vídeo "a história das coisas" é muito bom, e a Karem, do M.A.C. maníaca, colocou no blog dela! O link do blog está na barra lateral esquerda.

Ah, e fico feliz que gosta do blog!

Beijos
Dáfni disse…
Taíssa, pode apostar que os blogs são responsáveis sim! (rs) Que bom que o post fez repensar...

Gisele, concordo plenamente com vc!

Môni, lê o livro antes, que é bem legal!

Day, obrigada pela dica do vídeo!

Malu, tenho um monte de alunos que, provavelmente, tem pavor de fazer prova. Eu sei disso porque eu sei que eles sabem mais do que mostram nas provas.

Eu não sei se tem algum "macete" pra não ficar nervosa, mas encarar isto como algo rotineiro e corriqueiro deve ajudar um pouco!

Beijos

Postagens mais visitadas